Rumo ao Alvo (Inicio: Março 2008)

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Férias forçadas!

Olá, meninas! :) Só para dar uma palavrinha corrida...não estranhem a minha ausência. Sei que estou com um monte de comentários em atraso, tenho feito visitinhas completamente de corrida e com leituras meio na diagonal. À parte da confusão entre natal e passagem do ano, tenho a minha família de férias cá em casa, mais almoçaradas e jantaradas com a família do gajo e alguns amigos. Até tem sido engraçado, mas não tenho parado e o tempo não se multiplica ao sabor das necessidades. Dava jeito. rss. Hoje ainda vou buscar o Piquitito à escolinha, daí o passar aqui tão rápido. Amanhã é dia de encontro (tradução: neura total - tenho uma profunda aversão a esta dissertação, tema, autores, orientadora, etc. rss) com a orientadora da dissertação. No próximo fim-de-semana a casa volta a encher-se de gente, à semelhança do último fim-de-semana. O caos. Divertido, mas caos. rs E estou aqui a desconfiar que a saga se prolonga no fim-de-semana a seguir a esse. Resumindo: Vou colocar o blogue em férias por uns dias.

Quanto ao tema deste blogue, se é verdade que tenho sido a gaja mais moderadinha de todas as reuniões à volta do prato também é verdade que tenho estado longe de ser exemplar. No último fim-de-semana confesso que nem liguei muito (para não dizer nada..) à questão dieta. O que é facto é que já não consigo comer como antes e nem tenho vontade de o fazer. Já estou naquela fase em que um prato de um qualquer pitéu (mesmo que mais recheado do que o habitual) e uma dose de sobremesa é o meu limite. Acho que isto é o que se vai conquistando, mesmo sem querer, com dietas lentas, sem pressas, em que gradualmente vamos mesmo mudando os nossos hábitos e limites. Mesmo quando se abandalha fica-se longe das bandalheiras anteriores. ;-) Devo ter engordado alguma coisa, mas não consigo avaliar. Estou naquelas fases de inchaço e retenção de liquidos. Acho que não tanto pelo que comi. O verdadeiro calcanhar de aquiles têm sido as bebidas...shame on me...rss Não toco na maioria dos doces (ou têm lacticinios de vaca ou trigo) e na refeição não estico em demasia quantidades. Mas, por algumas vezes, acompanhei a malta no martini de apertivo, no vinho da refeição, no whisky depois...para não falar do espumante da passagem de ano. Mas a asneira crassa foi o dia do raio da cerveja abadia...eh pá..adoro aquilo e não resisti. Mas o parentesco da dita com o trigo acaba por me fazer aparecer umas manchitas e por me fazer inchar.

De qualquer das formas, estou convencida de que o estrago não é tão grande que não se recupere com relativa rapidez. E a gaja aqui já está a atinar. Até é giro. Mais do que a necessidade de perder peso, senti a falta da minha alimentação habitual e vontade de passar a alimentos bem levinhos. Continuo a ser um bom garfo. Sempre fui desde que me lembro de mim mesma, apesar de ter crescido com um peso normalíssimo. Consta que já o era em bebé. Daquelas que insiste em comer sozinha, faz um grande cagaçal, mas pacientemente consegue apanhar cada baguinho de arroz que cai na cadeirinha e não sobra nada. rs Mas já não gosto de grandes excessos. Ressinto-me e tenho vontade de aligeirar a seguir. As últimas refeições já foram grelhadinhos e com toda a moderação. Agora é reorganizar as minhas rotinas para me mexer, que se o tivesse feito podem estar certos de que não tinha engordado uma grama nas últimas semanas...bah! Aliás, não tenho dúvidas de que foi o factor desporto que me impediu de ser uma criança ou adolescente com algum excesso de peso. O azar é quando queremos comer como antes, sem nos mexermos como antes.

4 comentários:

Ana Bastos disse...

muito bem!
gostei do que li, e da análise. Afinal não te portaste mal, mas esses encontros todos á volta da mesa ;)

boas férias ;)
bjinhuxxx

Papoila disse...

tu queres é uns collants de borla! ihihih
manda lá o tamanho, o inventário tá quase pronto :P

Disseste uma coisa mt importante: qd gordas, queríamos comer como antigamente mas a mexermo-nos nem metade... desastre à vista!

:)))))

resolução minha disse...

olá! Quer dizer que tu conseguiste o teu objectivo: além de perder peso, mudaste os hábitos alimentares e isso é que faz sentido se quisermos viver em paz com o nosso corpo e com o nosso peso.Parabéns!!

Vania San disse...

Espero que supere a aversão da dissertação (rsss) que conheço bem, e que continue firme na sua reeducação (que tem tido um bom efeito, pelo visto).

Para quem já pesou 91, estar com 68 deve mesmo ser muito bom: torço demais por você!

Beijos e até mais.